07 junho 2024

Apoio da Corrente Sindical Socialista da CGTP-IN ao Partido Socialista e a Marta Temido

SINDICALISTAS SOCIALISTAS E INDEPENDENTES DA CGTP-IN APOIAM O PARTIDO SOCIALISTA NAS ELEIÇÕES PARA O PARLAMENTO EUROPEU DE 09 DE JUNHO DE 2024

VAMOS COMBATER PELA EUROPA QUE QUEREMOS NA EUROPA QUE TEMOS

A Corrente Sindical Socialista da CGTP-IN apela aos trabalhadores e às trabalhadoras para que, a 09 de Junho, nas eleições para o Parlamento Europeu, votem na lista do Partido Socialista, cuja liderança é assumida por Marta Temido.

As eleições para o Parlamento Europeu, no contexto político actual, revestem-se de uma enorme importância. Os avanços da extrema-direita em Portugal e na Europa, nos últimos anos, colocam em perigo o projecto europeu.

O avanço do neoliberalismo, nos últimos tempos, através das políticas impostas pela direita, põe em causa a Europa Social.

O projecto europeu, suportado em valores democráticos e solidários, baseado no desenvolvimento sustentado da União Europeia (UE), assume-se como organização política, económica e sociocultural.

A eventual vitória da direita, devido ao seu carácter neoliberal, levará a que o Estado Social que defendemos (em Portugal e na Europa) fique em risco; uma representação significativa da extrema-direita, devido ao seu nacionalismo e reaccionarismo, colocará em perigo o próprio projecto europeu.

A União Europeia, com todas as suas imperfeições actuais, é uma das regiões mais desenvolvidas do mundo, mas onde persistem muitas desigualdades. A pobreza, as desigualdades e a exclusão social, por causa de uma distribuição da riqueza cada vez mais desequilibrada, em benefício do capital, são uma realidade vivida por largas dezenas de milhões de cidadãos europeus e são um facto demonstrado em todas as estatísticas e estudos realizados. Constatamos que, segundo o Eurostat, a população em risco de pobreza ou exclusão social na UE ainda atinge mais de 95 milhões de pessoas, 22% da sua população.

É desta situação social objectiva que, nos estados-membros, crescem ou nascem movimentos protofascistas ou neofascistas, denominados erradamente populistas. Este é o maior perigo com que nos defrontamos hoje na União Europeia – com as suas mensagens primárias, de carácter racista, xenófobo, proteccionista e nacionalista. Utilizando as novas tecnologias de comunicação, estes movimentos têm capitalizado as angústias e o mal-estar de uma parte relevante dos cidadãos europeus.

Este é o resultado das políticas neoliberais impostas pela direita nos últimos anos – esta é a União Europeia que temos.

O que Portugal e a Europa precisam é de políticas progressistas, que apostem na valorização dos salários e pensões, no reforço do Estado Social, através do investimento nos serviços de saúde, segurança social, educação, habitação e cultura. Uma política que incentive o crescimento económico, que combata o desemprego jovem e de longa duração, que elimine as desigualdades salariais entre mulheres e homens e que promova políticas sustentáveis que garantam o futuro. Uma política que assegure a paz entre os estados, respeite os povos e garanta a segurança dos cidadãos.

Uma União Europeia que, na Europa e no mundo, promova o desenvolvimento sustentável, a justiça e o bem-estar social – esta é a União Europeia que queremos!

Nas próximas eleições europeias, votar no Partido Socialista é:

·         Eleger deputados e deputadas cujo compromisso de serviço público, abnegação e empenho estão representados na nossa cabeça-de-lista, Marta Temido, cujo trabalho desenvolvido durante a pandemia COVID-19 é reconhecido por uma ampla maioria da população e é garantia de que no Parlamento Europeu os nossos eleitos usarão toda a sua experiência em prol de uma melhor Europa;

·         Valorizar o projecto europeu e defender uma política para a UE que tenha em conta as especificidades de cada país, nomeadamente na sua reindustrialização, e que assuma o exemplo seguido durante a pandemia COVID-19, na compra conjunta de vacinas, que muito beneficiou Portugal e a Europa, e na constituição dos Planos de Recuperação e Resiliência de cada estado-membro, financiado por fundos garantidos pela própria UE;

·         Promover políticas públicas progressistas, à semelhança do que se fez em Portugal entre 2015 e 2024 pelos governos do PS e na Europa, quando Jacques Delors foi presidente da Comissão Europeia, em 1985;

·         Afirmar que no mundo global em que vivemos, e para enfrentar e vencer os profundos desafios que coloca, o projecto europeu continua válido e cada vez é mais necessário – mas tem de ser sustentado na liberdade, na democracia, na prosperidade para todos, na justiça social e num novo Contrato Social, marcas europeias distintivas e indeléveis, conforme a História demonstra até à saciedade;

·         Garantir que é com esta estratégia que se mobiliza a cidadania, porque é a única que produz crescimento económico, distribuição da riqueza, progresso social, coesão regional e sustentabilidade ambiental, se reerguerá de novo o sentimento pró-europeu e se combaterão e vencerão as forças protofascistas ou neofascistas que ensombram a nossa sociedade democrática;

·         Combater a direita e extrema-direita, promovendo políticas de combate à pobreza e exclusão social, como forma de eliminar as assimetrias sociais;

·         Contribuir para o reforço da esquerda no Parlamento Europeu e, desse modo, para o reforço da Europa Social.

É neste quadro político-social que os sindicalistas socialistas e independentes da CGTP-IN apelam a todos os trabalhadores para votarem no Partido Socialista nas próximas eleições para o Parlamento Europeu.

Não temos dúvidas: a experiência governativa em Portugal, a acção desenvolvida pelos governos do PS entre 2015 e 2024 na União Europeia são a razão principal para votar na lista do Partido Socialista encabeçada por Marta Temido – assim, conquistaremos a Europa que queremos!

É PRECISO VOTAR NO PARTIDO SOCIALISTA

POR PORTUGAL!

PARA CONTINUARMOS O COMBATE PARA MELHORARMOS AS NOSSAS VIDAS!

POR UMA MELHOR EUROPA – PELA EUROPA SOCIAL!

A Corrente Sindical Socialista da CGTP-IN

Lisboa, 05 de Junho de 2024